»
Mantenedor PMI-RS
Produtividade e redução de desperdício... a estratégia e o cronograma.
Compartilhe:

Produtividade e redução de desperdício... a estratégia e o cronograma.

Sempre que somos convidados a fazer o planejamento ou o cronograma fisico de uma nova obra predial de incorporação imobiliária discutimos com nossos clientes a possibilidade de fazer o cronograma e a posterior execução da obra em fases bem definidas, ou em "engenheires" cronograma em linhas de balanço. 

O que quero dizer com isso?

Que se faça, por exemplo, toda a estrutura de concreto primeiro de forma exclusiva, para depois "liberar" (ou soltar) as demais etapas. Priorizaríamos assim a eficiência, o aprendizado e especialização da equipe de produção e todo especialista é um natural eliminador de desperdícios. Eliminar perdas nessa parte pesada da estrutura de concreto armado (no sistema laje-aço-concreto) ao final também representarão uma parcela importante do $$$ investimento/faturamento de uma obra predial.

E quais são as fases subsequentes?

 - alvenarias internas,

 - alvenarias externas,

 - instalações hidraulicas e

 - tubulação para as instalações elétricas;

 - rebocos internos e outras da fase de "obra bruta".

Mas corriqueiramente, após 2 ou 3 lajes concretadas, passa-se a executar (ou soltar) no canteiro de obras as demais fases. 

Com isso, fazemos com que o efetivo da obra aumente, as atividades aumentem, a necessidade de suprimentos e insumos aumente, a logistica de distribuição dos materiais aumente e também aumente muito a carga do gestor (engenheiro gerente da obra) para o dia a dia dos trabalhos.

O resultado é "quase" sempre o mesmo, temos muitas disciplinas feitas ao mesmo tempo e pouco foco na redução dos desperdícios e uma dificuldade de confirmação da efetiva conclusão das atividades. Essa estratégia executiva que vemos na maior parte das obras, gera quase que imediatamente problemas de terminalidade nas atividades e consequentemente com impactos em todos os pavimentos, pois cada pavimento de um prédio para a ser uma "nova obra" ou um novo ponto de desperdicio de tempo, de energia ou de materiais.

Fiz uma viagem a algumas semanas e novamente voltei impressionado pois mostrei uma foto que fiz na viagem de uma obra (pois sempre bato fotos de obras) para minha equipe de engenheiros aqui na Technique, e uma das engenheiras me perguntou: "desde quando eles estão fazendo essa obra?"

Como eu não sabia responder, ela me propôs de olharmos no Google Street View. Essa Ferramenta fantástica que nos permite estar em qualquer lugar do mundo e o melhor, se for em uma grande cidade poderemos ver imagens daquele local em momentos diferentes.

Na foto acima, puxamos a imagem de janeiro de 2016. É da esquina da West Broadway e Pacific Highway em San Diego.

Olhe ela de novo antes de seguir lendo esse post ou veja vc mesmo no Street View:  https://goo.gl/maps/NEtqsycnoz52

E o que vamos ver? Bom, tenho certeza que a foto que fiz abaixo, fala por si mesma.

São praticamente 30 andares realizados da estrutura de concreto armado em 9 meses - de janeiro/2016 a setembro/2016). Ou seja, mais de 3 lajes realizadas por mes, e no momento em questão, com instalações hidraulicas realizadas.

O que se via era uma obra limpa, focada na busca pela performance e que faz com que se evite muito retrabalho e ao final gere o andamento como produção puxada, de um projeto Lean, com resultados bem interessantes.

E novamente, volto para ao que me motivou a fazer esse post. Porque não planejarmos obras de construção predial (comercial e residencial) no Brasil focando a parte de construção das estruturas em primeiro lugar e, ao final dessa importante fase, com o devido foco em qualidade, prumo, recobrimentos de armaduras e outros necessários para as estruturas de concreto com menos perdas e liberarmos, num segundo momento, o que poderíamos chamar de laje livre para os demais trabalhos?

E a resposta que recebo é sempre a mesma: "Não temos tempo. Temos que executar varias atividades ao mesmo tempo para terminar no prazo!"

Mas a pergunta para essa afirmação que faço para os meus colegas engenheiros de obras ou engenheiros de contratos é: "Terminamos no prazo?"

Se a resposta for não... pode estar na hora de pensar, ou de minimamente simular, em ferramentas de planejamento essa alternativa.

Pense nisso !!!

Quando conseguiremos fazer algo assim com essa frequencia? Não apenas em algumas empresas? Não apenas nas maiores construtoras do país? Não apenas com a equipe perfeita?

30 andares em 9 meses - de janeiro/2016 a setembro/2016 - é uma excelente produtividade

Bom, certamente não chegaremos a esses resultados fazendo ou executando da maneira que fazemos hoje.

Pensar o planejamento e o cronograma de forma diferente já será uma bela iniciativa e pode ser uma surpreendente alternativa!!!

Tente!!!

Trabalhar fases criticas de forma focada, vai gerar resultados e também economia financeira para a sua obra, que ao final serão bem surpreendentes.

Abaixo, achei os dados dessa obra denominada: New Bosa Project - San Diego. Se vc quiser conhecer mais, pode zapear no link abaixo!

E se você tem algum case para reportar ou comentário a fazer, comente e contribua. Mande o link, mande o local no street view do google para irmos passear lá tb.

Essa obra acima me surpreendeu bastante. Pena que não consegui visitar o canteiro. Mas isso, fica pra outra hora!

https://www.linkedin.com/pulse/produtividade-e-redu%C3%A7%C3%A3o-de-desperd%C3%ADcio-estrat%C3%A9gia-o-severo-pmp-crk

 


Atendimento TECHNIQUE:
+55 (51) 3381.7457
TECHNIQUE ASSESSORIA E PLANEJAMENTO LTDA.
Av. Encantado 384 \201 - Petrópolis - Porto Alegre RS
contato@technique.eng.br
www.technique.eng.br
Subir para o topo